sábado, 5 de maio de 2007

Mundo de sonhos?

Que país é este? Se perguntava Renato Russo. Pergunto-me também todos os dias. Aquela imagem cruel invadiu a minha mente. Era uma cena e notícia comuns nos telejornais diários. Não era novidade. Só era mais real! Estavam ali, diante de mim, crianças com enchadas e facões nas mãos, trabalhando pesado num sol escaldante de meio dia.
Eu vi o meu passado passar por mim. O melhor período de minha vida! Proteção, alegria, brincadeiras, sonhos, pureza...sabor doce da infância! Nem todos concordarão comigo, é verdade. Para uns a recordação tem um gosto amargo.Lembrei-me das literaturas infantis. Ah! E a saudade invadiu meu peito...Monteiro Lobato, como o adorava! Será que algum daqueles pequeninos saberia ao menos da existência desse grande escritor? É, provavelmente não. Mamãe fazia questão de me levar a estréia dos filmes da Disney no cinema, de fazer o bolo preferido no meu aniversário e de participar de todos os eventos na escola. Escola...é capaz que nenhum deles saiba escrever seu nome.Cresci ouvindo meus pais estimularem meus sonhos. E olha que as vezes, eles eram absurdos! Será que aqueles pobrezinhos se permitem sonhar? Ou até, tem tempo para isso?
Não há algo que toque mais do que um sorriso de uma criança. Ops! Existe sim! O brilho do olhar. Aqueles olhinhos pidões, inocentes e cheios de amor. Essa é a maior marca dos "baixinhos". Mas talvez isso seja mesmo privilégio de alguns. Não, não e não! Não exagerei. Recordei apenas os olhares tristes, carentes e cansados daquelas crianças.
Olhei e toquei em minha barriga. Lágrimas escorregavam em meu rosto. Dentro de alguns meses, estaria eu colocando um novo ser nesse mundo. Um ser que não pediu para nascer. Alguém que não tem culpa dos problemas econômicos, sociais e culturais do país. Mas, que poderia ser uma das crianças daquela imagem que será difícil ser apagada da minha mente...

5 comentários:

Gigantomania disse...

Gostei do texto, Tyara. Me identifiquei com alguns pontos, principalmente quando falas sobre nostalgia.

Abraço
Lucas Berredo.

Ana Luiza disse...

Até tu brutos...

Ana Luiza disse...

Até tu brutos...

Lorena Marçal disse...

Devoramos estas palavras com a mesma voracidade que o mundo está sendo engolido por tantas atrocidades...É terrível perceber que o nó, dado por nossas tripas, ao ver cenas como as descritas pelo texto, não são comparáveis a dor da fome, sentida por tantas crianças.
Fome...Fome da ração diária, fome de sonhos putrefados ou sequer plantados nos desertos da injustiça social...
Nesses momentos, em que o mundo nos reduz a pó e lágrimas percebo o porquê de tanto gostar de dormir, pelo menos lá, no planeta sono, posso me dar ao luxo de sentir, em alguns momentos, que posso acordar do pesadelo...

Tica,
Não poderia esperar menos emoção em um blog de uma pessoa como você, de tantos e tão nobres talentos...Que bom que a vida nos elegeu como amigas, é realmente um lindo presente de Deus.Adoro você, nunca esqueças, beijos mil...

eloah disse...

Nossa Prima adorei teu blog
tenho ate vergonha de escrever algo
no meio de tantos textos otimos
adorei mesmo
tem a tua cara Ty!!

bjos