segunda-feira, 14 de maio de 2007

Estréia: A vida como ela é

A vida é uma arte. Nos encanta, surpreende, revolta, angustia...um verdadeiro espetáculo dos mais variados sentimentos. "Conhece-te a ti mesmo", já dizia Sócrates. O bom convívio com o próximo requer antes de tudo, conhecer e estudar o seu interior. O difícil é o homem moderno ter tempo de pensar nisso. O mundo se tornou veloz, e essa rapidez se reflete principalmente nas relações interpessoais. A falta de diálogo talvez seja o melhor exemplo.
Renato Russo disse:"...esse é o nosso mundo, o que é demais nunca é o bastante..." Até onde vai o egocentrismo humano? Que somos feitos de comédia e tragédia é inegável. A sabedoria está em conseguir dominar esses sentimentos dentro de nós mesmos. Algo ínfimo? Bom, situações seculares como o etnocentrismo e racismo com certeza já teriam sido extintas com essa prática.
A platéia está lotada e ansiosa. Quinze minutos de atraso. O ator principal atrasou-se, por horas antes, ter ido ao cemitério. No mesmo dia, sua estréia nos palcos e a ausência de um ano do filho caçula. O encenante transmite emoções ao público. Desperta admiração e até inveja aos colegas. Chega em casa, beija docilmente a esposa e separa os papéis para a reunião do dia seguinte. Ao deitar-se, a dor da perda aperta o peito.
Isso lembra o poeta dos hereterônimos, Fernando Pessoa. Somos uma só pessoa, mas ao mesmo tempo várias! Somos misturas. Somos o filho rebelde mas o namorado amoroso. O homem trabalhador, porém o pai desatencioso.
Uma coisa é certa: conscientes ou não, queremos sempre ser melhores que os outros. Arrumamos constantes desculpas para nossos erros e queremos mudar o outro, nunca a nós mesmos. Chegamos ao clímax do drama!
Opa! Será que podemos voltar à Sócrates? Acredito que sim. Conhecer a si mesmo é saber respeitar-se. É conhecer os próprios limites. Se compreender para poder compreender o próximo. É ter consciência de que seremos eternos aprendizes da arte de conviver...

3 comentários:

Natasha disse...

Tyka.. fiquei emocionada com esse texto! Deve ser pq ele sucumbiu sentimentos adormecidos em mim, ou talvez, por caracterizar exatamente a fase que to vivendo agora.

".. Conhecer a si mesmo é saber respeitar-se. É conhecer os próprios limites. Se compreender para poder compreender o próximo. É ter consciência de que seremos eternos aprendizes da arte de conviver..."

A arte de se compreender, de conhecer seus próprios limites, suas emoções, compreender e aceitar o próximo, como a si mesmo. Esse é o caminho certo. O dificil, é segui-lo.. o ser humano tão complexo, a neurose gritante, sempre contra, sempre buscando o errado e insistindo nisso. Onde está a plenitude de tudo? Enfim...

Gil disse...

Minha Nuuuuooosssa!! Muita sutileza!! Vc colocou coisas que sao totalmente obvias mas que nem percebemos durante o nosso dia-a-dia!! otimo!! gostei bastante!!
Nota 1000 denovo pra vc!!

Guto disse...

nooooossa...

exatamente! usaste as palavras do renato e do grego na hora certa.. muito bom, mesmo! a vida moderna, como sempre, afastando o homem de si mesmo e da realidade.

do caraaaaaaaalho, tyara! passa no redoma, atualizei lá ;)

a posta no da sala, pô! hehehehehe

beeeeeeeeijos e parabéns, mesmoo!